Os Collares de Bagé

 Os Collares

de Bagé

Click here to edit subtitle

Árvore Genealógica dos Primeiros Collares

Jayme Collares Neto

Última atualização: 07-09-2021


Todos os antigos Collares sempre falaram dos “dois ramos” da família, constituídos pelos descendentes dos irmãos José Luís Collares e Leonardo José Collares. Apesar de ter havido alguns casamentos reunindo esses dois ramos, de modo geral cada ramo teve um destino próprio. O chamado “Ramo do Leonardo” manteve por até 4 gerações as vastas estâncias no Uruguai e se envolveu mais na política, nas guerras e nas revoluções. Já o “Ramo do José Luís” teve sua história marcada pela venda dos campos do Uruguai pelos herdeiros de José Luís Collares, alguns anos após a morte deste. Muitos desses herdeiros se tornaram tropeiros, carreteiros ou peões e capatazes de estâncias dos parentes. Apesar de alguns terem preferido ficar no Uruguai, a maioria ficou nas Palmas, ou acabou voltando do Uruguai para as Palmas, onde Laurindo José Collares e Mateus José Collares deixaram largas extensões de campos que se conservam na família até hoje. Os descendentes desses citados se destacam também por sua participação na política e, especialmente no caso de Mateus e seus descendentes, nas guerras e revoluções.


Na verdade, os descendentes de Laurindo José Collares constituem um caso à parte, pois pertencem, ao mesmo tempo, aos ramos do José Luís e do Leonardo, haja vista que Laurindo se casou com sua prima Silvana, do ramo do Leonardo. Essa descendência constitui um caso à parte, também, porque, na política, foi a única que produziu partidários do republicanismo[1], enquanto todos os outros Collares, ou se mantiveram apolíticos, ou abraçaram o federalismo (Partido Federalista, depois Partido Liberal).


Há ainda um terceiro ramo, o Ramo de Gertrudes, a irmã que ficou em Mostardas. Seu segundo filho, que se chamou Leonardo José Collares, e o filho deste, Antônio Leonardo Collares, foram os únicos quem mantiveram contato com os Collares de Bagé. Esse terceiro ramo é descrito no capítulo 7 da página O Primeiro Collares.


A seguir, apresentamos a relação dos Primeiros Collares de Bagé, isto é, a relação dos descendentes de José Luís Colares (o Primeiro Collares) que se fixaram nas Palmas (Bagé) e em Corrales de Paysandú (Uruguai), até a quarta geração. Ou seja, tratam-se dos irmãos José Luís e Leonardo José Collares (casados na família Teixeira Brasil) e de seus filhos, netos e bisnetos.


Simbologia utilizada:

* Local e/ou data de nascimento

† Local e/ou data de falecimento

≈ Local e/ou data de casamento

± Data aproximada ou provável


I. Ramo de José Luís Collares


JOSÉ LUÍS COLLARES, nascido em Mostardas em 14-02-1790, primeiro filho de José Luís Colares e de Anna Ignácia de Jesus, casou-se em Bagé, em 12-11-1819, com LUCIANA MARIA DA CONCEIÇÃO, natural de Canguçu, onde nasceu em 26-09-1807, filha de Laurindo Teixeira Brasil e de Francisca Maria da Conceição. José Luís faleceu nas Palmas (Bagé) em 11-04-1859, e Luciana em Bagé, em 10-09-1859[2]. Seguem os seus descendentes:


J-1 Laurindo José Collares (*Bagé ±1820 †Bagé 21-03-1884) ≈ (Bagé 06-02-1854) sua prima irmã Silvana Maria Collares (ver L-5). Laurindo fundou a Estância da Lechiguana, nas Palmas, na beira da estrada que vai às Casas de Pedra, a cerca de 4 km do entroncamento desta com a BR 153. Fica a cerca de quinhentos metros do Sobrado. Seus filhos foram:


J-1.1 Lúcio José Collares (Gugu) (*Bagé 23-07-1861 †Palmas 06-11-1922) ≈ Luísa Brasil. Como filho mais velho, Lúcio foi o responsável por terminar de criar vários irmãos, depois da morte dos pais. Herdou a sede da Estância da Lechiguana, cujos campos até hoje pertencem, parte a descendentes de seus irmãos, parte aos seus próprios descendentes (Fazenda Sossego). Viveu maritalmente com Luísa Brasil, de quem teve a filha única:


J-1.1.1 Ibrahima Brasil Collares (*Bagé 1888) ≈ (Palmas 25-03-1909) Manoel Domingues da Silva (Maneco Domingues). Por não ser filha legítima, Ibrahima teve seu direito de herança contestado por alguns dos irmãos de Lúcio. Por intermédio de Affonso (J-1.3), todavia, todos chegaram a um acordo pelo qual Ibrahima herdaria todas as terras do pai, mas em seguida faria doação de parte dos campos para os seus tios paternos. Nos campos que lhe tocaram, Ibrahima e Maneco fundaram a Fazenda Sossego, que até hoje permanece de propriedade de seus descendentes.


J-1.2 Francisca José Collares (*Bagé 01-11-1862 †Bagé 21-12-1905) ≈ (Bagé 19-08-1883) Augusto Alves de Almeida Araújo (*Porto, Portugal, ±1853 †Lavras 1888), filho de José Alves de Almeida Araújo e de Josefa Martins (ou Monteiro). O casal herdou a sede da Estância da Lechiguana, que depois ficou para sua filha única:


J-1.2.1 Silvana Collares de Araújo (Bichinha) (*Bagé 17-06-1884 †Bagé 06-09-1970) ≈ (Palmas 17-06-1911) Miguel Alves de Oliveira (*Bolena 29-04-1883 †Bagé 11-03-1956), filho de Antônio Alves de Oliveira e de Maria Teresa Sátiro Madruga. Atualmente a Estância da Lechiguana não pertence mais à família e existe com outro nome.


J-1.3 Affonso José Collares (*Bagé 20-10-1864 †Bagé 08-11-1924) ≈ (Palmas 13-07-1890) Antônia Bento de Miranda (*Bagé 21-08-1869 †Bagé 07-09-1947), filha de Vicente Bento de Miranda e de Idalina Benta Pires. Affonso fundou, nos campos que lhe tocaram por herança paterna, a Estância Paraíso, posteriormente aumentada com campos recebidos de Ibrahima (ver J-1.1.1). A Estância Paraíso permanece na família. O casal teve os filhos:


J-1.3.1 Laurindo Miranda Collares (Bibi) (*Lavras 29-08-1891 †Bagé 06-10-1966) ≈ (Bagé 14-04-1920) sua prima Matilde Lucas Collares (J-1.6.1).

J-1.3.2 Vicente Miranda Collares (*Bagé 1892 †Bagé 05-04-1930), solteiro.

J-1.3.3 Luciana Miranda Collares (China) (*Bagé 1893 †Bagé) ≈ (Bagé 18-09-1913) Alfredo Costa Ávila (*1885 †Pelotas), filho de Francisco Antônio d’Ávila e de Maria do Carmo Costa.

J-1.3.4 Lídia Miranda Collares (*Bagé 1895 †Bagé 03-07-1947), solteira.

J-1.3.5 Ivo Miranda Collares (*Bagé 01-03-1896 †Bagé 30-04-1975) ≈ (Bagé 28-06-1924) Antônia Simões Franco (Tinica) (*Bagé 10-05-1900), filha de Flaubiano Simões Pires e de Honorina da Fontoura Franco.

J-1.3.6 Honorina Miranda Collares (Nora) (*Bagé 24-02-1898 †Bagé 07-05-1956) ≈ (Bagé 15-09-1921) Jacinto Gonçalves Filho (*07-04-1896 †Bagé 07-12-1935, assassinado), filho de Jacinto Gonçalves e de Ramona Villagran.

J-1.3.7 Hugo Miranda Collares (*Bagé 1902) ≈ sua prima Juraci Azambuja Collares (J-1.5.2).

J-1.3.8 Ernestina Miranda Collares (Neta) (*Bagé 22-04-1904) ≈ (Bagé 30-10-1934) seu primo Laudares Simões Collares (J-9.1.1).

J-1.3.9 Leonardo Miranda Collares (Teté) (*Bagé 1907 †Bagé 15-05-1970) ≈ (Palmas ±1944) sua prima Sueni Collares Machado (Dadá, filha de Horaida J-4.6.5).

J-1.3.10 Idalina Miranda Collares (*Bagé 23-10-1909) ≈ (Bagé 31-10-1934) seu primo Lúcio Brasil da Silva (filho único de Ibrahima J-1.1.1).

J-1.3.11 Afonso Miranda Collares (*Bagé 06-05-1913 †Bagé 31-12-1994) ≈ (Bagé 24-07-1941) Loiva Cassão Dias (*Bagé 08-06-1921), filha de Favorino Gonçalves Dias e de Lídia Cassão Luiz.


J-1.4 Heduviges José Collares (*Bagé 26-02-1868[3] †Tacuarembó 26-09-1938) ≈ (Bagé 19-07-1888) seu primo Juvêncio Collares da Silva, com geração descrita em L-4.3.

J-1.5 Laurindo José Collares (*Bagé 1869 †Bagé 26-05-1927) ≈ (Bagé 13-01-1904) Angelina Xavier de Azambuja (*Bagé 05-03-1878 †Bagé 1954), filha de Antônio Xavier de Azambuja e de Flora, tendo os filhos:


J-1.5.1 Jerônimo Azambuja Collares (Nona) (*Bagé 1905) ≈ (Bagé) Elisabeth Loguércio.

J-1.5.2 Juraci Azambuja Collares ≈ seu primo Hugo Miranda Collares (J-1.3.7).

J-1.5.3 Flora Azambuja Collares (*Bagé 08-04-1910) ≈ (Bagé 28-01-1937) João Carneiro de Campos Sobrinho (*Bagé 13-03-1902 †Bagé 1972).

J-1.5.4 Antônio Xavier Collares (*Bagé 03-08-1917 †Bagé 07-06-1975) ≈ (Bagé 10-02-1949) Helena Petruzzi (*Lavras 29-10-1922), filha de Mário Petruzzi e de Aurora.


J-1.6 José Luís Collares (*Bagé 1871 †Bagé 1939) ≈ (Bagé 05-02-1896) Maria Madalena Lucas (*25-05-1876 †Bagé 1933), filha de José Lucas de Oliveira e de Matilde de Souza. Filhos:


J-1.6.1 Matilde Lucas Collares (Doca) (*Bagé 12-11-1897 †Bagé 24-06-1975) ≈ (Bagé 14-04-1920) seu primo Laurindo Miranda Collares (J-1.3.1).

J-1.6.2 Silvana Lucas Collares (*Bagé 1899 †Bagé 12-02-1923), solteira.

J-1.6.3 Élida Lucas Collares (Deca) (*Bagé 1901) ≈ (Bagé 1922) Ulisses Francisco Machado (desaparecido em 1935).

J-1.6.4 Laurindo Lucas Collares (*Bagé 1903 †Bagé 01-05-1921), solteiro.

J-1.6.5 José Luís Collares (Lelo) (*Bagé 1906 †Bagé 1977) ≈ (São Gabriel) Antonieta Nucci.

J-1.6.6 Telêmaco Lucas Collares (Maco) (*Bagé 1909 †Bagé 19-03-1968) ≈ (Bagé ±1948) Adiles Oliveira (*1928 †Bagé 05-12-1964), filha de Alcides Oliveira e de Felícia Dini.

J-1.6.7 Francisca Lucas Collares (*Bagé 19-09-1912) ≈ (Bagé 30-06-1930) João Henrique Campos da Rosa (*Bagé 11-03-1908), filho de Henrique Silveira da Rosa e de Francisca Campos.

J-1.6.8 Zaida Lucas Collares (*Bagé 1916 †Bagé 07-08-1962), solteira.


J-1.7 Silvana José Collares (*Bagé 08-05-1873 †Palmas) ≈ (Palmas 29-05-1897) seu primo Pedro Clave Collares, com geração descrita em J-4.6.

J-1.8 Firmiana José Collares (*Bagé 1878 †Bagé 22-12-1956) ≈ (Palmas 15-07-1899) seu primo Heráclito Lopes dos Santos, com geração descrita em L-10.6.


J-2 Serafim José Collares (*±1823) ≈ (±1856) Ana Pires (*±1838). Em 1860 o casal morava no Uruguai, provavelmente na cidade de Salto, onde foi encontrado o registro de óbito de Serafim, ocorrido na década de 1860. Ana Pires teria falecido em Bagé em 24-06-1866. Sem mais notícias.


J-3 Delfina Maria Collares (*Bagé ±1826 †Palmas 03-10-1904) ≈ (±1849) Joaquim Antônio Cardoso de Aguiar (*±1819 †29-12-1872), filho de João Antônio Cardoso e de Joaquina do Nascimento. Em 1860 o casal morava no município de Lavras do Sul, na localidade conhecida como “Cardosa” (por ser a terra dos Cardoso). Seus filhos foram:


J-3.1 Joaquina Cardoso (*Bagé 1850 †depois de 1872).

J-3.2 Luciana Cardoso (*Bagé 14-06-1852) ≈ (±1872) Francisco Marques d’Ávila Filho.

J-3.3 Laurindo Cardoso de Aguiar (*Bagé 19-03-1854 †depois de 1872).

J-3.4 Francisca Cardoso (*Bagé 28-01-1859 †depois de 1872).


J-4 Francisco José Collares (*Bagé 29-01-1832 †Palmas 12-09-1897[4]) ≈ (Bagé 25-02-1861) Florisbela da Silva Lemos (*Livramento 23-05-1839 †Bagé), filha de Alexandre da Silva Lemos e de Laurinda Paes de Morais. Francisco foi quem herdou a marca de gado do seu pai. Herdou também 10 quadras de campo em Corrales de Paysandú (Uruguai), perto do Cerro Arbolito, onde viveu até a década de 1870, quando vendeu o campo para herdeiros de Mateus Teixeira Brasil e veio fixar-se nas Palmas, em um pedaço de campo da antiga sesmaria de Alexandre da Silva Lemos, que era seu sogro. Entre 1866 e 1880 trabalhou como tropeiro, recolhendo novilhos e vacas nas estâncias dos parentes e vizinhos das Palmas para revendê-los a fazendeiros de Corrales de Paysandú, para repovoar as estâncias do Uruguai, devastadas pela Guerra Grande (1836-1851) e depois inviabilizadas devido à hostilização sistemática e xenofóbica movida contra os habitantes brasileiros, situação que perdurou até a tomada de Paysandú em 1864. Deixou um livro onde registrou suas tropas, em cuja primeira página anotou as datas do seu casamento e dos nascimentos de seus filhos, que foram:


J-4.1 Facundo José Collares (*Bagé 22-04-1862). Em 1900 estava casado.

J-4.2 Francisca José Collares (*Caçapava 18-04-1865 †1944) ≈ (Bagé 01-07-1903) seu primo Favorino Fernandes de Mesquita, com geração descrita em L-6.4.

J-4.3 Fagundes José Collares (*03-05-1867). Faleceu antes de 1900, sem deixar herdeiros.

J-4.4 Francelina José Collares (*Uruguai 29-06-1868 †Palmas 23-04-1896) ≈ (Uruguai 1887) seu primo Esperidião Lopes dos Santos, com geração descrita em L-10.2.

J-4.5 Flaubiano José Collares (Bano, Dano) (*Guayabos, Uruguai 18-08-1870 †Palmas 10-05-1964) ≈ (Palmas 14-12-1895) Maria Cândida Gonçalves Dias (Candoca) (*Palmas 06-12-1877), filha de Francisco Gonçalves Dias e de Velucinda Caetano. Flaubiano foi registrado com o nome Flaviano, e teve como padrinhos os parentes Manoel Teixeira Brasil e sua mulher Virgínia Gonçalves Brasil. Quando velho, costumava contar que tinha vindo do Uruguai na época da Revolução de 1893, “com uma tropa de cavalos do Mateus [Mateus José Collares] para esconder na Toca”. Nas Palmas, trabalhou como tropeiro e, junto com seu irmão Pedro Clave, como carreteiro, comerciando mercadorias de Montevidéu para Bagé e vice-versa. Lutou na Revolução de 1923 e/ou na de 1926, junto com o primo Aristeu Dias Collares, principalmente na missão de vigiar as fazendas das Palmas contra assaltos dos governistas. Após separar-se da mulher, foi viver à beira do Rio Camaquã, utilizando um pesqueiro hoje conhecido como Pesqueiro do Velho Flaubiano. No final da vida, foi viver com o filho Jayme. O casal teve os filhos:


J-4.5.1 Velucinda Dias Collares (Dé) (*Palmas 23-10-1898 †Bagé 05-03-1967) ≈ (Palmas 13-01-1915) Inocêncio Bento Machado (*Uruguai 1879 †antes de 1967), filho de Pacífico Machado e de Maria José Bento.

J-4.5.2 Jayme Collares (*Bagé 02-06-1900 †Bagé 19-08-1973) ≈ (Palmas 09-01-1928) Maria Arminda Ferreira Jardim (*24-05-1911[5] †08-07-1939), filha de João Gaspar Jardim e de Adélia Ferreira. Arrendou muitos anos e finalmente adquiriu da família Rodrigues um campo no lugar chamado Pinheiros, na Coxilha das Flores (Palmas, Bagé), que até hoje pertence a seus descendentes.

J-4.5.3 Alice Dias Collares (Mosa) (*Palmas 04-10-1904[6] †Bagé) ≈ (Palmas) Gregório Rodrigues Collares (*1899 †Bagé 14-11-1978), filho de João Collares[7] e de Eufrázia Rodrigues.

J-4.5.4 Jandira Dias Collares (*Palmas 30-10-1909) ≈ (Palmas) João Berchon, filho de Gabriel Berchon Des Essarts.

J-4.5.5 Antônia Dias Collares (Gucha) (†Bagé 08-07-1979).

J-4.5.6 Dalmira Dias Collares.

J-4.5.7 Álvaro Nero Dias Collares (Alvonero) (†Palmas 1941), solteiro.


J-4.6 Pedro Clave Collares (*Uruguai 09-09-1872) ≈ (Palmas 29-05-1897) sua prima Silvana José Collares (J-1.7). Pedro Clave recebeu este nome por ter nascido no dia de São Pedro Claver. O casal teve os filhos:


J-4.6.1 Silvana (†Bagé 12-07-1917), solteira.

J-4.6.2 Laurindo Collares de Collares (†Bagé 01-06-1973), solteiro.

J-4.6.3 Francelina (†Bagé), solteira.

J-4.6.4 Mateus Bonifácio Collares (†Palmas), solteiro.

J-4.6.5 Horaida (*Palmas 05-10-1909) ≈ (Bagé 19-08-1924) Pedro Antunes Machado (*10-04-1908), filho de Paulino Machado e de Feliciana Antunes.


J-4.7 Francina José Collares (*Arbolito, Salto, Uruguai, 16-09-1873 †Bagé 18-08-1958) ≈ (Palmas 05-09-1896) José Maria Dias Tavares (†Bagé 10-01-1916), filho de Domingos Tavares da Silva e de Maria da Conceição Dias. Tiveram os filhos:


J-4.7.1 Mateus Collares Dias (*Palmas 1897), faleceu solteiro.

J-4.7.2 Maria Francisca Collares Dias (*Palmas 08-09-1899) ≈ (Palmas 21-06-1917) Antônio Vieira da Silva (*Palmas 29-05-1897), filho de Júlio Vieira da Silva e de Aniceta Dias.

J-4.7.3 Aristeu Collares Dias (*Palmas 1902 †Bagé 02-09-1974) ≈ (Palmas) Nancy Dantas Alano, filha de Ovídio Alano da Silva e de Floriana Dantas.

J-4.7.4 Favorino Collares Dias (*Palmas 1904), falecido antes de 1958, solteiro.

J-4.7.5 Tancredo Collares Dias (*Palmas 1906 †Bagé 22-03-1976) ≈ (±1928) Manuela Antônia Cristiano (Chinoca).

J-4.7.6 Francisco Collares Dias (*1907).

J-4.7.7 Domingos Collares Dias (*Palmas 1909), falecido antes de 1958, residiu no Uruguai.

J-4.7.8 Maria da Conceição Collares Dias (*Palmas 12-07-1911) ≈ (Bagé 08-02-1930) Antônio Carlos de Azambuja Marques (Nenito) (*Salto, Uruguai 09-04-1891), filho de Pedro Maria Marques da Silva e de sua primeira mulher Brasilina de Azambuja.

J-4.7.9 José Maria Collares Dias (*Palmas 1913) ≈ (±1943) Francisca Gonçalves, filha de Paulino Gonçalves.

J-4.7.10 Vitoriano Collares Dias (*Palmas 1915 †Bagé 1939), solteiro.


J-4.8 Flora (*Uruguai 23-09-1876 †Palmas 02-09-1914) ≈ (Palmas 07-10-1899) Bernardino Ferreira Dias (ou da Silva) (*±1873), filho de Antônio Ferreira Dias e de Antônia Dias.

J-4.9 Florisbela (Lisbela) (*Arbolito, Salto, Uruguai 19-02-1878 †depois de 1900), solteira.

J-4.10 Felisberta (*Corrales, Paysandú, Uruguai 27-05-1879). Depois de 1900, casou e viuvou 3 vezes, a última das quais, depois de 1945, com Jorge Fara. Teve os filhos:


J-4.10.1 Demócrito Collares da Silva, casado, foi morar em Porto Alegre.

J-4.10.2 Severo Collares da Silva ≈ (Palmas 10-11-1933) sua prima Francisca Collares Lopes (L-10.6.3). O casal morou nas Palmas, na casa que foi de Francisco Lopes dos Santos e de sua mulher Silvina Collares (L-10).

J-4.10.3 Pedro Collares da Silva (†Bagé 1945).

J-4.10.4 Antônio Fara.

J-4.10.5 Miguel Fara.

J-4.10.6 Selma Fara.

J-4.10.7 Francisco Fara (Chico Turco), casado com “Noca” Rodrigues.

J-4.10.8 Lauro Fara.

J-4.10.9 Lacy Fara.


J-4.11 Firmiana (*Uruguai 26-06-1880 †Pelotas 16-07-1958) ≈ (Bagé 1905) Antônio Steilen (*Palmas 17-04-1882 †Bagé 1939), filho de Pedro Steilen e de Etelvina Martins Lemes. Tiveram os filhos:


J-4.11.1 Uldemar da Silva Collares (*Bagé 1906 †Bagé 09-06-1977) ≈ (±1936) Eudóxia.

J-4.11.2 Moacir da Silva Collares Steilen (*1907) ≈ Maria.

J-4.11.3 Jandira da Silva Collares (*1909), faleceu solteira.

J-4.11.4 Adail da Silva Collares (*1910) ≈ Eloah.

J-4.11.5 Wlady da Silva Collares (*1911) ≈ Rufino Mendes.


J-4.12 Fabiano (*31-12-1881). Faleceu antes de 1900.


J-5 Luís José Collares (*Bagé 11-11-1833 †Uruguai) ≈ (Paysandú ±1870) Manuela Montado (*±1845). Até a década de 1870, residiu nas 10 quadras de sesmaria herdadas do pai, em Corrales, pouco ao norte da Ruta 26, tendo como lindeiros os Montado. No norte do Uruguai, Montado costuma ser erroneamente escrito e pronunciado Montáo (assim como todas as palavras terminadas em ado). Depois de vender os campos para sucessores de Mateus Teixeira Brasil, veio residir nas Palmas, a convite de Mateus José Collares, que empregou Luís em sua fazenda. Segundo seu neto Zêuxis Simões Collares, o casal teria tido 14 filhos; temos notícia, porém, somente dos seguintes:


J-5.1 Maria Luísa Montado Collares (*Uruguai ±1873 †Bagé 08-11-1915) ≈ (Uruguai ±1889) seu primo Álvaro Fernandes de Mesquita, com geração descrita em L-6.3.

J.5.2 Laurindo Montado Collares (*Corrales, Paysandú, Uruguai 01-01-1876), sem mais notícias.

J-5.3 Silvana Montado Collares (*Uruguai ±1878) ≈ (Paysandú ±1900) Manoel Beceiro (*±1870), que era dono de uma casa de comércio em Corrales, próxima à estância de Leonardo Collares da Silva (L-4.1). Tiveram os filhos:


J-5.3.1 Victor Beceiro Collares ≈ Elena Cartillo e, em segundas núpcias, ≈ Dinora.

J-5.3.2 Demócrito Beceiro Collares ≈ “Pura”.

J-5.3.3 Guadalupe Beceiro Collares ≈ Victor Rey.


J-5.4 Camilo (*Corrales, Paysandú, Uruguai 04-05-1879). Sem mais notícias.

J-5.5 Doralício Montado Collares (*Corrales, Paysandú, Uruguai 27-12-1880 †Bagé 21-08-1945) ≈ (Vila José Otávio, Bagé ±1905) Longínia Coutinho (*1875 †Bagé 15-05-1961), filha de Pedro Coutinho e de Cesarina Coutinho. Tiveram o filho único:


J-5.5.1 João Carlos Collares (*±1906), falecido entre 1945 e 1961.


J-5.6 Alcídia Montado Collares (Mimosa) (*Uruguai 1884 †Bagé 19-12-1961) ≈ (Bagé 1905) seu primo Laurindo Simões Collares, com geração descrita em J-9.1.

J-5.7 Elmira Montado Collares (*Uruguai), falecida em Bagé, solteira.


J-6 Aleixo José Collares (*±1836). Em 1860 tinha 25 anos, era solteiro e morava nas Palmas. Depois, emigrou para o Uruguai, onde fundou uma estância nas 10 quadras de sesmaria herdadas do pai, a leste do Arroio Queguay-Chico. Ali  se casou com Dolores Berroa, uruguaia, filha de Miguel Berroa e de sua mulher Martina Benitez, seus lindeiros ao norte. Obtive notícia dos seguintes filhos:


           J-6.1 Ana Maria (*Paysandú, Uruguai, 17?-03-1862).

           J-6.2 Miguel Epifânio (*Paysandú, Uruguai, 21-11-1863).

           J-6.3 Luciana (*Paysandú, Uruguai, 20-02-1866).

           J-6.4 José (*Guayabos, Paysandú, Uruguai, 05-08-1870). 

           J-6.5 Martina (*Corrales, Paysandú, Uruguai, 10-10-1872).

           J-6.6 Alejo (Aleixo) (*Corrales, Paysandú, Uruguai, 25-09-1877).


J-7 Severino José Collares (*±1838). Faleceu antes do pai (antes de 1859) sem deixar filhos legítimos.


J-8 Ana José Collares (*Bagé 24-02-1841). Emigrou para Corrales, Paysandú, Uruguai, onde em 1877 foi madrinha de seu sobrinho Aleixo (J-6.1). Sem mais notícias.


J-9 Mateus José Collares (*Bagé 1843 †Bagé 22-07-1917) ≈ (Bagé 01-07-1876) Águeda Evangelina Simões Pires (*Bagé 21-04-1858 †Bagé 07-11-1939), filha de Januário Simões Pires e de Antônia Bento de Miranda. Mateus residiu primeiro próximo ao Sobrado, e por fim na Fazenda das Traíras, que depois pertenceu a Antônio Augusto Collares de Oliveira (filho de Silvana J-1.2.1) e por último ao filho deste, Cândido Pires de Oliveira. Chegou a possuir, também, um campo no Uruguai (provavelmente no Queguay-Chico). Lutou na Guerra do Paraguai (1865-1870) “como praça de um dos corpos de cavalaria de Guardas Nacionais”[8], e na Revolução Federalista (1893-1895), nesta no posto de Tenente-Coronel do Exército Libertador. Teve o filho único:


J-9.1 Laurindo Simões Collares (*Bagé 18-10-1879 †Bagé 25-01-1946) ≈ (±1905) sua prima Alcídia Montado Collares (J-5.6). Lutou pelo Partido Federalista na Revolução de 1923, sob o comando imediato de Carlos Alberto da Silva Tavares (Bebeto Tavares), integrando a coluna do General Estácio Azambuja. Seu lenço vermelho faz parte do acervo do Museu Dom Diogo de Souza, de Bagé. O casal teve os filhos:


J-9.1.1 Laudares Simões Collares (*Bagé 02-08-1906 †Bagé 1996) ≈ (Bagé 30-12-1934) sua prima Ernestina Miranda Collares (J-1.3.8).

J-9.1.2 Zêuxis Montado Collares (*Palmas 30-07-1908) ≈ (Palmas) sua prima Niar Monteiro Silveira (Ruiva, filha de Hildebrando Lopes da Silveira L-10.1.2). Zêuxis sucedeu o pai como Secretário do Partido Libertador (antigo Partido Federalista) de Bagé, até 1965.

J-9.1.3 Parrhásio Simões Collares ≈ sua prima Maria de Lourdes Simões Pires (Lula), filha de Lulo Simões Pires e de Armandinha Pires da Silveira.

J-9.1.4 Maurio Simões Collares (*Bagé 1911) ≈ Belmória Gomes Dias.

J-9.1.5 Moema Montado Collares, faleceu em Bagé solteira em 1954.

J-9.1.6 Edith Montado Collares ≈ (Rio Grande) Antônio Paiva Andino.

J-9.1.7 Guida Montado Collares, solteira.

J-9.1.8 Nino Montado Collares ≈ Zaide Martins.

J-9.1.9 Luiz Simões Collares (†Paysandú 1999), casado.

J-9.1.10 Heloi Montado Collares ≈ Felicidade.

J-9.1.11 Helen Salvaterra Collares, solteiro. Recebeu esse nome em homenagem ao tenente Helen Salvaterra, combatente na Revolução de 1923, famoso por seu certeiro fuzil de mira telescópica.

J-9.1.12 Sinval Montado Collares, solteiro.


J-10 Silvina José Collares (*Bagé 11-07-1845) ≈ (Bagé 23-05-1867) Manoel Pereira Luís (*Caçapava ±1837), filho de Lauriano Pereira Luís e de Feliciana Rosa dos Santos. O casal teria ido morar em Caçapava. Sem mais notícias.


J-11 Firmiana Maria Collares (*±1847) ≈ (±1867) Raimundo Vicente Rodrigues (*±1837), filho de Maurício Vicente Rodrigues e de Joaquina Maria do Nascimento. Viveram em Lavras, onde tiveram os filhos:


J-11.1 Ana Joaquina Collares Rodrigues (*Lavras 04-02-1868).

J-11.2 José Luís Collares Rodrigues (*Lavras 04-01-1870).

J-11.3 Firmiana Collares (*±1873 †1921) ≈ João José de Medeiros (*±1865), pais de:


J-11.3.1 Almedorina Collares de Medeiros ≈ Pedro Nogueira.

J-11.3.2 Maria Collares de Medeiros ≈ José Geissler Martins.

J-11.3.3 Vicente Collares de Medeiros ≈ (Bagé 30-09-1925) Percília Rodrigues Nogueira (*11-07-1909), filha de Artur Lemos Nogueira e de Donata Rodrigues. Em 1925 era soldado do Exército.

J-11.3.4 Águeda Collares de Medeiros ≈ Aristides Coelho de Medeiros.

J-11.3.5 “Mimosa” Collares de Medeiros ≈ Felisberto Alves (Héto).

J-11.3.6 Américo Collares de Medeiros.

J-11.3.7 Nair Collares de Medeiros ≈ Francisco Medeiros.


J-11.4 Laurindo (ou Leonardo) (*Bagé 30-01-1887), sem mais notícias.




II. Ramo de Leonardo José Collares



LEONARDO JOSÉ COLLARES, o segundo filho de José Luís Collares e de Anna Ignácia de Jesus, nasceu em Mostardas em 07-01-1792 e faleceu nas Palmas em 23-04-1858. Casou-se em Bagé, em 15-12-1820, com SILVANA MARIA DA CONCEIÇÃO, nascida em Mostardas em 08-01-1808, filha de Severino Teixeira Brasil e de Gertrudes Maria de Oliveira. Silvana faleceu provavelmente em 1881, data em que seu testamento foi aberto. Leonardo e Silvana viveram na Estância Nova, na Palmas (Pedra Grande), onde tiveram os seguintes filhos:


L-1 Thomaz José Collares (†Bagé 16-09-1887) ≈ (Bagé 03-10-1848) Benigna Maria do Nascimento (*Bagé 1826 †Bagé 30-10-1886), filha de Faustino Rodrigues do Nascimento e de Josefa Maria de Oliveira. Fundou, no Uruguai, em campos herdados do pai, a Estância Corrales, na margem esquerda (oriental) do Arroio Corrales. Essa fazenda permaneceu na família até 1999. Em 1879, nas Palmas, no entroncamento do Corredor dos Collares com a estrada que vai de Bagé ao Passo do Cassão, fundou a Estância Santa Benigna. Quando Thomaz morreu, a Estância Corrales ficou para seu filho Ismael José Collares, enquanto que a Santa Benigna ficou para o seu outro filho Leonardo José Collares Sobrinho (Naduquinha).


L-1.1 Ismael José Collares (*Bagé 08-08-1849 †Paysandú 10-11-1899[9]) ≈ (Bagé 12-07-1876) sua prima Silvana Collares Brasil Collares (L-2.1). Ismael herdou do pai a Estância Corrales. Tendo perdido o marido cedo, Silvana Collares Brasil Collares se revelou excelente administradora, aumentando a estância de 11.200 hectares para 16.000 hectares. O casal teve os filhos:


L-1.1.1 Alzira Collares Collares (*Bagé 28-11-1877 †Bagé 08-04-1934) ≈ (Paysandú ±1904) seu primo João Cirne Collares (L-1.2.1).

L-1.1.2 Atílio Brasil Collares (†Paysandú 22.11.1918, vítima da gripe espanhola) ≈ sua prima Maria Diva Osório Brasil (L-8.1.2).

L-1.1.3 Inocêncio José Collares (*Bagé 28-07-1889 †Paysandú 21.11.1918, vítima da gripe espanhola) ≈ sua parente Aída Pereira Brasil (L-8.4.1).

L-1.1.4 Ismael Romeu Collares (*Uruguai ±1893 †Corrales ±1946) ≈ sua prima Claudina Brasil Pias (L-8.2.4). Romeu herdou dos pais a Estância Corrales com 16.000 hectares. Dividiu os campos metade para cada filho[10]. René, casado com sua prima Ruth, ficou com o casco e os campos do lado leste do Arroio Corrales. Edith (Tita), casada com Miguel Olaso, recebeu os campos do lado oeste do Arroio Corrales, ao norte do Arroio Itacabó, onde Olaso fundou a Estância Corralito, atualmente pertencente a seu filho Miguel York Olaso Collares. Os herdeiros de René (9 filhos) venderam suas partes na Estância Corrales para terceiros (a última dessas vendas foi em 1999).


L-1.2 Leonardo José Collares Sobrinho (Naduquinha) (*Bagé 28-03-1854 †Bagé 10-06-1917) ≈ (Bagé 1877) Felisbina dos Santos Cirne (*Bagé 26-02-1856 †Bagé 24-02-1926[11]), filha de João Antônio Cirne e de Maria Felisbina dos Santos. Naduquinha herdou do pai a Estância Santa Benigna, nas Palmas (Bagé). O casal teve os filhos:


L-1.2.1 João Cirne Collares (*Bagé 13-02-1879 †Bagé 21-04-1967) ≈ (Paysandú 1901) sua prima Alzira Collares (L-1.1.1). Herdou, dos pais, a sede da Estância Santa Benigna, nas Palmas, e posteriormente comprou as partes do campo herdadas por seus irmãos.

L-1.2.2 Thomaz Cirne Collares (*Bagé 12-09-1881 †Porto Alegre 29-12-1953) ≈ (Bagé 29-12-1906) Maria Angélica Silva (*Uruguai 1885 †Bagé 24-08-1911, de parto), filha de Eduardo Silva e de Maria Angélica Barbosa. Em segundas núpcias, ≈ (Bagé 12-09-1917) com Maria Delfina Leite Riet (Corrucha) (*Paysandú 11-10-1878 †Porto Alegre 02-08-1955), filha de Tristão Riet e de Maria José Leite. Um dos fundadores do jornal Correio do Sul em 1914, Thomaz foi político militante do Partido Libertador, tendo sido eleito deputado estadual em 1928. Possuiu uma estância em Cerro Largo (Uruguai), onde morou durante a Revolução de 1923, prestando apoio material aos revoltosos. Juntamente com Arnaldo Faria, foi líder da Revolução de 1930 em Bagé. Em seu palacete na Avenida Sete de Setembro (onde hoje é a Galeria Kalil), costumava receber os mais influentes políticos rio-grandenses de seu tempo. Sua paixão pela política consumiu-lhe a fortuna.

L-1.2.3 Trajano Cirne Collares (*Bagé 16-12-1886 †Porto Alegre 1959) ≈ (Bagé 26-06-1915) Zuleika Garrastazu Teixeira (*Bagé 17-01-1896 †Bagé 17-12-1944), filha de Wlandislau Bandeira Teixeira e de Amabilia Garrastazu. Trajano foi conhecido em Bagé como o Maestro Collares; teve uma orquestra, que animava os bailes do Clube Caixeiral e do extinto clube “Congresso Familiar”. Vendeu a Estância Delícias ao seu irmão João Cirne Collares, tranferindo-se para Porto Alegre.


L-1.3 Josefina Maria Collares (*Bagé 07-10-1855 †Bagé 12-03-1922) ≈ (Bagé 30-11-1871) seu primo Tertuliano Pereira Brasil (*Caçapava 12-04-1844), filho de Nicolau Antônio Pereira e de Maria Madalena Teixeira Brasil, sem geração. Tendo viuvado deste primeiro marido, casou-se em Bagé em 05-12-1881 com Balbino Manoel Francisco de Souza (Canudos, Arroio Grande 1848 †1894, assassinado), filho de Balbino Manuel Francisco de Souza e de Gertrudes Bernarda da Silva. Viuvando também deste, casou-se em Bagé em 05-05-1894 com Bernardino de Sena Costa Feitosa (Comendador Feitosa) (*Pernambuco 1849 †Porto Alegre), filho de Bernardino de Sena Feitosa e de Maria das Dores Costa. Deste último marido teve o filho:


L-1.3.1 Elpídio Collares Feitosa (Doca) (*Bagé 22-03-1896 †Bagé 21-06-1966) ≈ Ângela d’Ambrosio (Angelita).


L-1.4 Silvana Maria Collares (*Bagé 30-01-1858 †Bagé 27-02-1937) ≈ (Bagé 11-07-1874) seu primo Camilo Teixeira Brasil (*Bagé ±1846 †Uruguai), filho de Mateus Teixeira Brasil e de Firmiana Maria da Conceição. Viuvando deste, casou-se (Bagé 30-03-1901) com Juan Donamari Hijo (*Uruguai 1866 †Paysandú), filho de Juan Donamari e de Juana Mendeguía. Sem geração.


L-2 Severino José Collares (*Bagé 25-12-1824 †Paysandú 07-05-1895) ≈ (±1857) sua parente Francisca Teixeira Brasil (*Bagé 01-04-1832 †Bagé 12-03-1890[12]), filha de Mateus Teixeira Brasil e de Firmiana Maria da Conceição. Em segundas núpcias, ≈ (Palmas 09-04-1892) Maria Francisca Dias Delfim (Quietinha) (*Palmas 1874 †Bagé 1960), filha de Francisco Delfim e de Francisca Gonçalves Dias. (Tendo viuvado de Severino, Quietinha casou-se com Ramão Baldomero de Castro.) Pelo primeiro casamento, Severino ficou proprietário do Sobrado, que havia sido a residência de Laurindo Teixeira Brasil, pai de sua sogra. Teve um filho de cada esposa, que foram:


L-2.1 Silvana Brasil Collares (Vanica) (*Bagé 06-02-1860 †Uruguai 1939) ≈ (Bagé 12-07-1876) seu primo Ismael José Collares (com geração – ver L-1.1), passando a assinar Silvana Collares Brasil Collares.

L-2.2 Francisco José Collares (Chiquinho) (*Palmas 04-10-1893 †Bagé 22-08-1962) ≈ (Palmas 21-04-1917) sua prima Arlinda Collares da Silva (L-4.6.1). Depois de ter perdido 2 filhos falecidos pequenos, o casal teve o filho


L-2.2.1 Teófilo da Silva Collares (*Bagé 02-10-1930) ≈ (Bagé 26-02-1958) Marlena Quadros Malafaia, filha de Osvaldo da Silva Malafaia e de Porcia Echevarria de Quadros. Teófilo fundou, nas Palmas, a Fazenda Três Flores, cuja sede foi construída sobre os restos da Estância do Cerro da Cruz, onde morou Ana Josefa Collares (L-7), a qual, segundo o proprietário, seria a mesma sede da Estância Nova, de seu bisavô Leonardo José Collares (segundo outra tradição, a sede da Estância Nova seria assinalada por algumas ruínas de alicerces a poucos metros da atual sede da estância).


L-3 Leonardo José Collares (Naduca), Coronel da Guarda Nacional (*Bagé 15-04-1829 †Bagé 08-04-1908) ≈ (Bagé 11-12-1858) sua prima Francisca Pereira Brasil (*±1840), filha de Nicolau Antônio Pereira e de Maria Madalena de Oliveira, e, em segundas núpcias, ≈ (Bagé 29-05-1886) Adélia Rodrigues Feijó (*Bagé 29-03-1866 †Bagé 17-12-1962), filha de Simplício José Feijó e de Faustina Rodrigues do Nascimento. Lutou como soldado na guerra contra Oribe e Rosas, tendo participado da Batalha de Monte Caseros (Morón), de 3 de fevereiro de 1852. Em 1868, integrou, como Major Fiscal e Subcomandante, o 19 Batalhão de Voluntários da Pátria, organizado em Bagé. No Museu Dom Diogo de Souza, em Bagé, se conservam a medalha que ganhou em Monte Caseros e os binóculos que usou na Guerra do Paraguai. A espada que usou na Guerra do Paraguai é conservada por um seu descendente direto. Participou, também, da Revolução de 1893, pelo Partido Federalista. Rico estancieiro, possuiu campos nas Palmas e, principalmente, em Corrales (Uruguai), onde chegou a produzir mais de 1.600 terneiros por ano. Teve os filhos:


L-3.1 Lisbela Pereira Collares (*Bagé 09-11-1872 †Montevidéu 19-11-1945) ≈ (Bagé 14-12-1889) Severino Simões Franco (*1865 †1894), filho de João Pereira Franco e de Maria do Carmo da Fontoura Pires. Quando ficou viúva aos 21 anos, foi morar com a irmã Maria das Dores e o cunhado Alexandrino Franco, em cuja estância criou os 2 filhos[13]:


L-3.1.1 Leonardo Collares Franco (Nadico) (*Bagé 14-09-1890 †Montevidéu 1954) ≈ (Paysandú 1913) sua prima Maria Francisca Osório Brasil (L-8.1.3). Nos campos que recebeu da mãe, em Corrales, Nadico fundou a Estância Maria Francisca, cujo casco ficou para seu descendente Leonardo Franco Osório (Fico Franco), passando depois a seus filhos, que o venderam em 1997.

L-3.1.2 Blanca Collares Franco (*Montevidéu 1894 †Montevidéu 1962) ≈ (Corrales 1915) Armando Benigno Medeiros (†Montevidéu). Nos campos que recebeu da mãe, em Corrales, Blanca e seu marido Benigno fundaram a Estância San Severino, que veio a ser rebatizada de Sarandi pelos que vieram a compra-la. O casal se viu obrigado a vender a estância após os prejuízos decorrentes da célebre enchente de dezembro de 1940 (época da esquila), que dizimou todas as 2.500 ovelhas, e da não menos célebre seca que se seguiu, a qual durou de agosto de 1941 até 29-03-1942.


L-3.2 Maria das Dores Pereira Collares (Dorzinha) (*Bagé 19-08-1877 †Bagé 28-03-1965) ≈ (Corrales 26-05-1894) Alexandrino Simões Franco (Xandeco) (*Bagé 15-10-1869 †Tacuarembó 27-12-1919), irmão do marido de Lisbela (L-3.1). Após a morte de Alexandrino, Maria das Dores foi morar em Bagé com as filhas e a irmã Lisbela, indo porém todo verão ver os filhos homens em Corrales, onde herdaram os campos. As filhas mulheres casaram e se radicaram em Bagé, tendo herdado residências em Bagé e campos em Jaguarão. O casal teve os filhos:


L-3.2.1 Maria do Carmo Franco Collares (Dudu) (*Bagé 12-01-1899 †Bagé 1973) ≈ (Bagé 1919) Viriato Perez. Radicou-se em Bagé.

L-3.2.2 Francisca Franco Collares (Chica) (*Corrales 08-04-1900) ≈ (Bagé 1926) Antônio Cândido Simões Franco. Radicou-se em Bagé.

L-3.2.3 João Franco Collares (*Corrales 27-01-1903 †Corrales 1991) ≈ (1925) Carlota Lopes Machado (†Paysandú 1955). Ficou no Uruguai (Corrales), de proprietário do casco da Estância Xandeco, de seu falecido pai, próximo ao passo do Arroio Corrales, e respectivos campos, medindo 2.065 hectares.

L-3.2.4 Leonardo Collares Franco (Naduca) (*Corrales 08-11-1905 †Paysandú 1980) ≈ (1929) Olga Merello Feijó. Ficou no Uruguai (Corrales), onde fundou a Estância La Marthita, com 2.065 hectares.

L-3.2.5 Jerônimo Franco Collares (Nona) (*Corrales 10-05-1907 †Tambores 1991) ≈ (1935) sua prima Nira Medeiros, filha de L-3.1.2 Blanca Collares Franco e de Armando Benigno Medeiros. Ficou no Uruguai (Corrales), onde fundo a Estância Santa Bárbara, com 1.909 hectares. O casco pertence hoje a seu descendente Pedro Daniel Franco Medeiros.

L-3.2.6 Clara Franco Collares (Cana) (*Corrales 27-09-1910) ≈ (Bagé 1934) Rafael Taurino Kluwe. Radicou-se em Bagé.

L-3.2.7 Alexandrina, falecida entre 1920 e 1941 sem descendentes.


L-3.3 João Maria Collares (Pipa) (*Bagé 10-06-1889 †Bagé 01-09-1964) ≈ (08-09-1919) Ruth Pedro Moacyr (*Rio de Janeiro, 17-10-1900 †Belo Horizonte 07-12-1928), filha de Pedro Gonçalves Moacyr ( 24-07-1919) e de Francisca de Araújo Vieira. Pipa Collares formou-se em medicina no Rio de Janeiro, mas nunca exerceu a profissão, a não ser nos anos em que foi médico do consulado brasileiro em Montevidéu. Para o final da década de 1950 escreveu umas quinze ou vinte interessantes crônicas para o Correio do Sul (Bagé), numa coluna intitulada Tempos Idos e Vividos. Em Corrales foi proprietário da Estância L’Entente (nome alusivo à Tríplice Entente formada para combater os alemães e austríacos na I Guerra Mundial), em cujo incêndio (em 07/06/1938) perdeu sua preciosa biblioteca. Pipa e Ruth tiveram os filhos:


L-3.3.1 Maria Adélia Collares (*Rio de Janeiro 27-08-1920 †Rio de Janeiro 28-04-2011), solteira.

L-3.3.2 Pedro Moacyr Collares (*Bagé 13-01-1923 †Campos do Jordão 04-10-1971), solteiro.

L-3.3.3 Marcello Flávio Moacyr Collares (*Bagé 01-04-1925) ≈ (26-04-1964 São Paulo) Cecília Azevedo Lima (*São Paulo 26-04-1938).


L-3.4 Francisco de Assis Collares (Chico Perau) (*Bagé 04-10-1890 †Bagé 09-10-1967) ≈ (Santa Maria Chico, Dom Pedrito, 1911) Maria Francisca Simões da Rosa (Yayá) (*Santa Maria Chico 07-03-1893 †Bagé), filha de Favorino da Rosa Garcia e de Lídia Simões Pires. O apelido Perau provinha do fato de que a sede de sua estância, nas Palmas, ficava à beira de um perau, donde se descortinava uma vista magnífica do vale do Arroio Velhaco e de todo o município de Cacimbinhas (atual Pinheiro Machado). Foi proprietário de vários quarteirões da parte mais central da Avenida General Osório, em Bagé. Chico Perau e Maria Francisca foram pais de:


L-3.4.1 Leonardo José Collares (Duca) (*Bagé 1912) ≈ Nilza de Azambuja.

L-3.4.2 Renny da Rosa Collares (*Bagé 1914 †Bagé 23-12-1965), solteira.

L-3.4.3 Eddy da Rosa Collares (*Bagé 29-09-1915 †Bagé 21-01-1957) ≈ (Bagé 10-10-1942) Eduardo Garibaldi Nocchi (*Silveira Martins 10-06-1911), filho de Vittorio Nocchi e de Elíbia de Souza.

L-3.4.4 Gecy da Rosa Collares (*Bagé 1916) ≈ Assis Leguísamo.

L-3.4.5 Favorino da Rosa Collares (Favito) (*Bagé 22-06-1918) ≈ (Bagé 30-05-1945) Cora Barcellos Silveira (*Bagé 18-02-1926), filha de Oscar Espíndola Silveira e de Maria das Dores Morais Barcellos.


L-3.5 Afonso Américo Collares (Deco) (*Bagé 1893) ≈ (Genebra, Suíça 1925) Jeanne Prémat Perrin (*Genebra), filha de Marc Antoine Raymond Perrin e de Maria Jeanne Prémat. Tiveram o casal de filhos:


L-3.5.1 Leonardo José Collares (*Genebra, Suíça 30-01-1926) ≈ (Bagé 18-09-1954) Gilka Maruri Nocchi (*Bagé 05-08-1934), filha de Domingos de Souza Nocchi e de Anaulia Maruri. Proprietário da Estância do Gerivá, nas Palmas.

L-3.5.2 Gisele Marie Perrin Collares ≈ (Bagé) José Carlos Brito Lucas (*1934), filho de Elpídio Valentim Lucas e de Diva Alves de Brito.


L-3.6 Comba Collares (*Bagé 1896) ≈ (Bagé 20-05-1916) Hugo Vinhas (*Bagé 29-09-1893 †Bagé 1949), filho de Líbio Vinhas e de Maria Antônia da Silva, tendo os filhos:


L-3.6.1 Caio Collares Vinhas ≈ Hélia Paiva Simões.

L-3.6.2 Iolanda Collares Vinhas.

L-3.6.3 Leonardo Collares Vinhas.


L-4 Gertrudes Maria Collares (Tuta) (Bagé 21-08-1830 †Bagé 05-08-1905) ≈ (Bagé 24-09-1849) seu primo Francisco José da Silva (Chico Rengo) (*Mostardas 19-07-1816 †Bagé 09-03-1878), filho de José Francisco da Silva e de Ignácia Maria de Jesus (que era irmã de Anna Ignácia de Jesus, mulher do Primeiro Collares).


L-4.1 Leonardo Collares da Silva (*Lavras 1856 †Bagé 14-01-1927) ≈ (Bagé 20-08-1881) sua prima Silvana Collares Cassão (L-5.2), sem geração. Foi para o Uruguai cerca de 1892 com seu irmão Hermes, onde fundou a Estância La Bocaina, que depois vendeu para esse irmão, e a Estância São Leonardo.

L-4.2 Francisco Collares da Silva (*Bagé 01-11-1858 †Bagé 11-02-1941) ≈ (Bagé 21-07-1883) Antônia Pereira Franco (*Bagé 27-04-1862 †Bagé 28-11-1935), irmã de Severino e de Alexandrino Simões Franco, casados, respectivamente, com Lisbela (L-3.1) e Maria das Dores Pereira Collares (L-3.2). Pais de:


L-4.2.1 João Franco da Silva (*Bagé 15-10-1884 †Bagé 1946) ≈ (Bagé 25-06-1910) Oscarina da Rosa Candiota (*Dom Pedrito 26-09-1886 †Bagé 06-02-1961), filha de Pedro Rodrigues Candiota e de Edelvira da Rosa Barcelos.

L-4.2.2 Jerônimo Franco da Silva (*Bagé 24-09-1886 †Bagé 15-02-1956), solteiro.

L-4.2.3 Francisco Franco da Silva (*Bagé 04-11-1888), falecido jovem.

L-4.2.4 Oswaldo Franco da Silva (*Palmas 25-09-1889 †Bagé 02-05-1966) ≈ (Bagé 16-11-1933) Maria Francisca Simões Cantera (Quita) (*Bagé), filha de Luís Cantera e de Cândida Simões Pires.

L-4.2.5 Leônidas Franco da Silva (Biloca) (*Bagé 18-01-1890 †Paysandú 26-08-1970) ≈ (Bagé 11-05-1914) sua prima Cecília Collares Cassão (L-4.4.4).

L-4.2.6 Maria do Carmo Franco da Silva (China) (*Bagé 29-07-1891), falecida solteira.

L-4.2.7 Leonardo Franco da Silva (*Bagé 1893 †Bagé 15-09-1908).

L-4.2.8 Dulcídia Franco da Silva (Ceci) (*Bagé 26-09-1894) ≈ (Bagé 14-07-1917) João Gutemberg Carbonell Maciel (Guta) (*Livramento 30-03-1889 †Bagé 14-01-1979), filho de Salustiano Maciel e de Corina Carbonell.

L-4.2.9 Alcino Franco da Silva (Nenê) (*Bagé 18-01-1896 †Bagé 1948) ≈ (Bagé 02-08-1924) Iracema Silva Azambuja (*Bagé 03-02-1899 †Bagé 1974), filha de Estácio Xavier de Azambuja Júnior e de Matilde Silva.

L-4.2.10 Francisca Franco da Silva (Chica) (*Bagé 29-01-1898) ≈ (Bagé 24-05-1920) seu primo Alcides Cassão da Silva (L-4.4.5).

L-4.2.11 Severino Franco da Silva (Sibica) (*Bagé 16-07-1899 †Porto Alegre 05-03-1972) ≈ (Rio de Janeiro) Marina Pinto (†Bagé 1931) e, em segundas núpcias, ≈ (Paysandú 30-03-1940) sua parente Hilda Franco Osório (*Paysandú 27-07-1916), filha de Leonardo Collares Franco (L-3.1.1) e de Maria Francisca Osório Brasil. Severino Franco da Silva foi jogador de futebol de vários clubes do Rio de Janeiro e da Seleção Brasileira na década de 1920, com o apelido de Lagarto. Tinha campos nas Palmas.

L-4.2.12 Setembrina Franco da Silva (Bina) (*Bagé 22-09-1900 †Bagé 23-10-1972) ≈ (Bagé 28-07-1928) Luiz Borba Brossard (*Bagé 29-10-1893 †Bagé 15-07-1970), filho de Julião Brossard e de Rita de Cássia de Borba.


L-4.3 Juvêncio Collares da Silva (*Porto Alegre 12-09-1862 †Corrales 21-07-1934[14]) ≈ (Bagé 19-07-1888) sua prima Heduviges José Collares (J-1.4). O casal foi morar no Uruguai (Corrales) depois de 1906[15], estabelecendo-se com estância nas terras herdadas por Gertrudes, mãe de Juvêncio. Foram pais de 9 filhos, nascidos entre 1889 e 1906, dos quais somente atingiram a idade adulta o 3º, o 5º e o 6º, que foram:


L-4.3.1 Silvana[16] Collares da Silva (Silva) (*10-09-1893 †Tacuarembó) ≈ (17-10-1914) Bernabé Medeiros de Albuquerque.

L-4.3.2 Lino Collares da Silva (*23-09-1896 †10-09-1933) ≈ (Montevidéu 27-12-1926) Idalina Machado, residiu no Uruguai.

L-4.3.3 Juvêncio Collares da Silva (Nenê) (*26-01-1898 †Tacuarembó) ≈ (29-03-1928) Maurília de Moura.


L-4.4 Hermes Collares da Silva (*Bagé 30-07-1864 †1929) ≈ (Palmas 05-04-1885) sua prima Amabilia Collares Cassão (L-7.3). Foi para o Uruguai cerca de 1892 para ser capataz do irmão Leonardo nos campos da Bocaina (Corrales), e posteriormente adquiriu deste a Estância La Bocaina. Atualmente, essa estância é de propriedade da família Ramos, possivelmente em virtude do casamento de 2 membros dessa família com Ernestina e Silvana, as duas filhas mais novas de Hermes. O casal teve os seguintes filhos:


L-4.4.1 Francisco Cassão da Silva (Lalão) (*Palmas 05-03-1886 †Corrales 1954) ≈ (Uruguai) Sabina Medeiros (†Tacuarembó 01-09-1978).

L-4.4.2 Leonardo Cassão da Silva (*Bagé 14-05-1889).

L-4.4.3 Hermes Cassão da Silva (*Bagé 20-10-1891 †Tacuarembó) ≈ Angelita. Foi capataz da Estância Corrales.

L-4.4.4 Cecília Collares Cassão (Zica) (*Corrales 22-11-1894) ≈ (Bagé 11-05-1914) seu primo Leônidas Franco da Silva (L-4.2.5). Foi criada em Bagé pelo tio Leonardo Collares da Silva (L-4.1).

L-4.4.5 Alcides Cassão da Silva (Doque) (*Corrales 02-11-1897) ≈ (Bagé 24-05-1920) sua prima Francisca Franco da Silva (L-4.2.10).

L-4.4.6 Marino Cassão Collares da Silva (*Corrales 16-03-1905) ≈ (Palmas 25-07-1925) sua prima Amabilia Collares da Silva (L-4.6.4). Tinha 2 anos quando perdeu a mãe, tendo sido criado em Bagé pelo tio Leonardo Collares da Silva (L-4.1).

L-4.4.7 Ernestina Collares da Silva ≈ José Ramos.

L-4.4.7 Silvana Collares da Silva ≈ Adolfo Ramos.


L-4.5 Hortênsia Collares da Silva (*Bagé 1866) ≈ (Bagé 16-12-1882) Fernando d’Ávila Ortiz (*Jaguarão 29-08-1852), filho de Fernando Ortiz e de Josefina Amália d’Ávila. Pais de:


L-4.5.1 Dirceu Ortiz (*1885) ≈ (Bagé 03-09-1910) Stella Vinhas (Fofa) (*Bagé 1890), filha de Líbio Vinhas e de Maria Antônia da Silva.


L-4.6 Aristides Collares da Silva (*Bagé 27-05-1868 †Bagé 1935) ≈ (Palmas 21-11-1891) sua prima Horaida Collares Cassão (L-7.4). Pais de:


L-4.6.1 Arlinda Collares da Silva (Lindoca) (*Palmas 22-06-1894 †Bagé 24-05-1936) ≈ (Palmas 21-04-1917) seu primo Francisco José Collares, com geração descrita em L-2.2.

L-4.6.2 Auta Collares da Silva (*Palmas 12-09-1896 ou 1898 †Bagé 1954) ≈ João Simões Franco, filho de Flaubiano Simões Pires e de Honorina da Fontoura Franco.

L-4.6.3 Ana Maria Collares da Silva (Rucha) (*Palmas 29-05-1903) ≈ (Palmas 05-10-1920) Simeão Campos Soares (*05-01-1888), filho de Inácio Fagundes Soares e de Inês Campos.

L-4.6.4 Amabilia Collares da Silva (*Palmas 16-07-1907) ≈ (Palmas 25-07-1925) seu primo Marino Cassão Collares da Silva (L-4.4.6).

L-4.6.5 Aristides Collares da Silva (*Palmas 24-04-1909) ≈ (Bagé 10-12-1932) Alaíde Vaz Leite (*Bagé 02-09-1914), filha de Edmundo Madruga Leite e de Alzira Vaz.

L-4.6.6 Gertrudes Collares da Silva (Tuta) (*Palmas 03-05-1910) ≈ (Bagé 18-10-1930) Otacílio Xavier Alves (*Cachoeira do Sul 02-07-1903), filho de José Antônio Alves e de Gasparina da Conceição Xavier.


L-4.7 Setembrina Collares da Silva (Bina) (*Bagé 23-09-1869) ≈ (Bagé 17-07-1886) Manoel Corrêa de Mattos (*Rio de Janeiro 1859 †1901), filho de José Corrêa de Mattos e de Claudina Maria de Jesus. Pais de:


L-4.7.1 Aníbal Corrêa de Mattos (†Rio de Janeiro), solteiro.

L-4.7.2 Manoel Corrêa de Mattos Filho (Matinhos), falecido moço.

L-4.7.3 Corália Corrêa de Mattos (*Corrales ±1894), casada, residiu no Rio de Janeiro.


L-5 Silvana Maria Collares (*Bagé 14-12-1831 †Bagé 04-12-1883) ≈ (Bagé 06-02-1854) seu primo Laurindo José Collares, com geração descrita em J-1.


L-6 Maria José Collares (Maruca) (*Bagé 07-02-1835 †Bagé 19-11-1911) ≈ (Bagé 07-02-1954) Domingos Fernandes Mesquita (*Mostardas 1821 †Bagé 24-10-1907), filho de Domingos Fernandes de Mesquita e de Custódia de Lemos. Pais de:


L-6.1 Silvana Collares de Mesquita (Dona Mesquita) (*Bagé 06-09-1859 †Bagé 1951) ≈ (Bagé 10-07-1875) Laurindo Teixeira Brasil (*Bagé 23-06-1848), filho de Mateus Teixeira Brasil e de Firmiana Maria da Conceição. O casal viveu na Estância Santa Silvana, nas Palmas, fundada por Severino Teixeira Brasil e por este deixada a seu filho Mateus Teixeira Brasil, pai de Laurindo. Não tiveram filhos, mas adotaram o sobrinho Armando de Castro Brasil, adiante descrito (L-6.2.2), que herdou a estância.

L-6.2 Anaurelina Collares de Mesquita (Linda) (*Bagé 03-11-1860 †Bagé 25-01-1888) ≈ (Bagé 29-09-1877) Leonardo Borges de Castro (*Pelotas 1855 †Bagé 23-08-1903), filho de Antônio José de Castro e Almeida e de Maria da Luz. Pais de:


L-6.2.1 Maria da Conceição Castro (Sinhá) (*Bagé 1883 †Porto Alegre) ≈ (Bagé 20-10-1908) Constantino Martins (*±1875), filho de Laurentino Rodrigues de Sena Martins e de Camila Lélis de Souza.

L-6.2.2 Armando de Castro Brasil (*Bagé 14-07-1887 †Bagé 10-03-1929) ≈ (Bagé 22-06-1912) Cecília Silveira Correia de Barros (Pequena) (*Bagé 27-11-1889 †Bagé 22-09-1971), filha de Anaurelino Correia de Barros e de Cecília Silva Tavares da Silveira. Herdou a Estância Santa Silvana, que passou a seu filho Cid Barros Brasil e atualmente é de propriedade do filho deste, Carlos Roberto Martins Brasil.


L-6.3 Álvaro Fernandes de Mesquita (*Bagé 10-02-1863 †Bagé 09-06-1927) ≈ (Uruguai ±1889) sua prima Maria Luísa Montado Collares (J-5.1) e, em segundas núpcias, ≈ (±1917) Maria Francisca Arraché (Chininha) (*28-07-1895), filha de Martim Arraché e de Helena. Teve 5 filhos do primeiro casamento e 2 do segundo:


L-6.3.1 Álvaro Fernandes de Mesquita Filho (*1890 †Rio de Janeiro) ≈ Joana.

L-6.3.2 Dulcídia Collares de Mesquita (*1894) ≈ (Bagé 22-03-1911) Artur Américo Cantalice (*Paraíba 1878), filho de Félix Antônio Cantalice e de Ursulina César.

L-6.3.3 Domingos Fernandes de Mesquita, casado.

L-6.3.4 Nicanor Fernandes de Mesquita.

L-6.3.5 Maria Conceição Collares de Mesquita (*20-05-1908) ≈ (Bagé 10-09-1927) Pedro Coll Leite (*17-08-1899), filho de Inácio Caetano Leite e de Cândida Coll.

L-6.3.6 Maria de Lourdes Arraché Mesquita (*1918).

L-6.3.7 Walter Mesquita (*1920 †3-6-1975 Belo Horizonte-MG) Geralda Lopes da Silva ( 1976).


L-6.4 Favorino Fernandes de Mesquita (*Bagé 12-10-1867 †Bagé 1911) ≈ (Bagé 01-07-1903) sua prima Francisca da Silva Collares (J-4.2). Tiveram o filho único:


L-6.4.1 Domingos de Assis Mesquita (*Corrales 04-10-1904 †Bagé 10-01-1974) ≈ (Bagé 19-03-1923) Zilah Areias Vieira Nunes (*28-06-1907 †19-05-1977), filha de João Vieira Nunes e de Flávia Flesch Areias.


L-6.5 Sebastião Fernandes de Mesquita (*Bagé 20-01-1870 †Bagé 26-12-1908), solteiro (interdito).

L-6.6 Leonardo Fernandes de Mesquita (Nadico) (*Bagé 24-08-1874 †Bagé 19-05-1946) ≈ (Bagé 11-03-1913) Fidelina de Moura Maldonado (*Bagé 1891 †Bagé 15-11-1924), filha de Firmiano Quintanilha Maldonado e de Firmina de Moura, e, em segundas núpcias ≈ (Bagé 27-10-1928) Cora Simões da Rosa (*Bagé 27-04-1897), filha de Favorino da Rosa Garcia e de Lídia Simões Pires. Teve 10 filhos, sendo os 2 primeiros tidos quando solteiro, e reconhecidos do consórcio com Maria Silva Rebollo, os seguintes 5 do primeiro matrimônio e os 3 últimos do segundo matrimônio:


L-6.6.1 Leonardo da Silva Mesquita (*Uruguai 1904), casado.

L-6.6.2 Maria da Silva Mesquita (*Uruguai 1906, criada em Corrales por L-2.1 Silvana Collares Brasil Collares)  ≈ Ramon Ghuiena Peralta (*Durazno, Uruguai), filho de Amalio Peralta e de Florentina Ghuiena.

L-6.6.3 Favorino da Silva Mesquita (*Paysandú 05-06-1907 †Minas Gerais) ≈ (Bagé 21-11-1929) Naida Simões da Rosa (*Dom Pedrito 12-02-1906), irmã de sua madrasta Cora Simões da Rosa.

L-6.6.4 Antônio da Silva Mesquita (*Livramento 11-11-1908) ≈ (Bagé 30-08-1910) Constança Caetano da Silva (*Santiago do Boqueirão 19-09-1911), filha de Vidal Flores da Silva e de Maria da Conceição Caetano.

L-6.6.5 Olga Maldonado Mesquita (*Bagé 1914), solteira.

L-6.6.6 Domingos Maldonado Mesquita (*Bagé 1918 †General Câmara), casado.

L-6.6.7 Nemo Maldonado Mesquita (*Bagé 1920 †Santa Cruz do Sul), solteiro.

L-6.6.8 Sireno da Rosa Mesquita (Sireninho) (*Bagé 09-03-1931) ≈ (Bagé 03-03-1956) Maria Rosa da Silva Souza.

L-6.6.9 Zeneida da Rosa Mesquita (Dedeca) (*Bagé 13-04-1932), solteira.

L-6.6.10 Zinaida da Rosa Mesquita (Zezé) (*Palmas 25-11-1936) ≈ (Bagé 02-07-1955) Runardo Lopes.


L-6.7 Ercília Collares de Mesquita (Moca) (*Bagé ±1878 †Rio de Janeiro 10-11-1927) ≈ (Bagé 1899) Francisco de Araújo Caldas Xexéo (*Maceió 1871 †Rio de Janeiro 02-08-1947), filho de Mateus de Araújo Caldas (“Xexéo”) e de Maria Francisca de Lima. Filhos:


L-6.7.1 Edith Mesquita Caldas Xexéo (*Bagé 1904 †Niterói 06-03-1973) ≈ José Soares Neiva (†Niterói).

L-6.7.2 Ben-Hur Mesquita Caldas Xexéo (*Bagé 1905 †Porto Alegre 27-04-1958) ≈ (São Gabriel) Maria Souza.

L-6.7.3 Francisco Mesquita Caldas Xexéo (*Uruguaiana 17-10-1906) ≈ (Bagé 30-05-1936) Ubaldina Barrera Bica de Castro (*São Luiz Gonzaga 20-09-1910), filha de Bento Bica de Castro e de Orfila Barrera.

L-6.7.4 Carlos Mesquita Caldas Xexéo (*Bagé ±1909 †Rio de Janeiro 17-08-1968) ≈ (Bagé) Catarina Goulart Amaral, filha de Frederico do Amaral Mena e de Dalila Goulart Pinto.

L-6.7.5 Maria de Lourdes Mesquita Caldas Xexéo (*Porto Alegre), solteira.

L-6.7.6 Jorge Mesquita Caldas Xexéo (*Porto Alegre 27-02-1917 †Rio de Janeiro 18-05-1949) ≈ (Bagé 06-10-1942) Dalmirina Coronel Martins (*Bagé 28-08-1919), filha de José Dias Martins e de Florinda Silva Coronel.

L-6.7.7 Carmem Mesquita Caldas Xexéo (*Porto Alegre) ≈ Luiz Carlos Guimarães.

L-6.7.8 José Mesquita Caldas Xexéo (*Porto Alegre) ≈ (Porto Alegre) Zália Moreira.

L-6.7.9 Sebastião Mesquita Caldas Xexéo (*Bagé) ≈ Sueli Mariense, filha de Álvaro Mariense e de Cenira.


L-7 Ana Josefa Collares (Nicota) (*Bagé 21-11-1837 †Bagé 24-06-1886) ≈ (Bagé 22-01-1862) Mariano Gonçalves Cassão (†Cachoeira do Sul 20-04-1835 †Bagé 02-09-1872), filho de Francisco Antônio Gonçalves Cassão e de Felisberta Brígida de Carvalho; em segundas núpcias, ≈ (Bagé 16-02-1874) seu cunhado Felisberto Gonçalves Cassão (*Cachoeira do Sul 16-11-1838 †Palmas 16-2-1885, suicídio), irmão do primeiro marido. Nicota morou na Estância do Cerro da Cruz (atualmente Estância Três Flores, de propriedade de Teófilo da Silva Collares, ver mais detalhes em L-2.2.1), e teve 5 filhos, sendo 3 do primeiro e 2 do segundo matrimônio, a saber:


L-7.1 Felisberta Collares Cassão (Beta) (*Bagé 22-11-1862 †Palmas 16-2-1885, assassinada por seu padrasto), sem geração.

L-7.2 Silvana Collares Cassão (*Bagé 18-04-1864) ≈ (Bagé 20-08-1881) seu primo irmão Leonardo Collares da Silva (L-4.1), sem geração.

L-7.3 Amabilia Collares Cassão (Bilia) (*Bagé 1867 †Paysandú 03-06-1907) ≈ (Bagé 05-04-1885) seu primo irmão Hermes Collares da Silva, com geração descrita em L-4.4.

L-7.4 Horaida Collares Cassão (Jadica) (*Bagé 1875 †Palmas 08-05-1914) ≈ (Palmas 21-11-1891) seu primo-irmão Aristides Collares da Silva, com geração descrita em L-4.6.

L-7.5 Lídia Collares Cassão (*Bagé 1877 †Palmas 16-11-1928 ou 1930) ≈ (Palmas 1895) Leopoldino Ferreira da Silva (Guacho) (*09-07-1860 †Bagé 1941), pais de:


L-7.5.1 Raimundo Ferreira da Silva (*Palmas 07-01-1896 †Bagé 16-09-1929, suicídio) ≈ (Baú, Pinheiro Machado 24-05-1918) Maria Luísa Ornelas da Cunha (*Baú 25-03-1901), filha de Tertuliano Sátiro da Cunha (Calano) e de Vidalvina de Ornelas.

L-7.5.2 Felisberta Cassão Ferreira (*Palmas 1897) ≈ (Palmas ±1917) Aleixo Velasques de Souza (†Palmas).

L-7.5.3 Romeu Cassão Ferreira (*Palmas 08-07-1898 †Porto Alegre, no Hospital São Pedro) ≈ (Palmas 31-07-1925) Alzemira Bonilha Danéres (*05-02-1904), filha de Manuel Antônio Danéres e de Maria Luíza Bonilha.

L-7.5.4 Raul Cassão Ferreira (*Palmas 1899 †Palmas), solteiro.

L-7.5.5 Felisbina Cassão Ferreira (Pequena) (*Palmas 29-07-1900) ≈ (Palmas 29-07-1927) Januário Simões Pires (*Palmas 30-01-1892), filho de Zenóbio Simões Lopes Pires e de Joaquina Bento de Miranda.

L-7.5.6 Florisbela Cassão Ferreira (*Palmas 27-03-1903) ≈ (Palmas 05-04-1924) Georgino Adalberto de Medeiros (*24-04-1903 †Bagé), filho de João Simplício de Medeiros e de Antônia Honorina.

L-7.5.7 Florinda Cassão Ferreira (*Palmas 28-09-1906) ≈ (Palmas 09-11-1929) Sebastião Barreto Cabral (*Bagé 24-07-1901), filho de Vicente Barreto Cabral e de Rafaela da Silva Ferreira.

L-7.5.8 Flaviana Cassão Ferreira (*Palmas 05-10-1908 †Pelotas 23-10-1967) ≈ (Palmas 31-07-1925) Dario da Silva Silveira (*Palmas 03-07-1903 †Bagé 17-10-1959), filho de Rosalvo Meireles da Silveira e de Ambrosina Rodrigues.

L-7.5.9 Antônio Cassão da Silva (Riche) (*Palmas 15-02-1912) ≈ (Bagé 14-12-1940) Alba Barañano (*Bagé 03-05-1925), filha de Eugênio Barañano e de Eraclides Lopes.


L-8 Francisca Brasil Collares (*Piratini 1839 †Bagé 16-05-1873) ≈ (Bagé 17-02-1860) seu primo Severino Teixeira Brasil (Severininho) (*Bagé 27-07-1837 †Paysandú), filho de Mateus Teixeira Brasil e de Firmiana Maria da Conceição. Pais de:


L-8.1 Firmiana Collares Brasil (*Bagé 03-02-1865 †Paysandú 09-12-1940) ≈ (Bagé 22-08-1885) Edmundo Osório (*Porto Alegre 02-02-1860 †Livramento 17-06-1892), filho de Manuel Jacintho Osório e de Maria da Glória de Souza e Silva. Pais de:


L-8.1.1 Gelón Osório Brasil (*Bagé 24-08-1886 †Paysandú 12-08-1953) ≈ Maria Thereza Lopes Barcelos (*Pelotas 22-04-1896 †Pelotas 07-04-1986), filha de Pedro Leão de Almeida Barcelos e de Maria Isabel de Freitas Lopes. Divorciando-se desta, ≈ Eugenia Fernández.

L-8.1.2 Maria Diva Osório Brasil (*Corrales 12-09-1889) ≈ seu primo Atílio Brasil Collares (L-1.1.2).

L-8.1.3 Maria Francisca Osório Brasil (*Paysandú 09-03-1891) ≈ (Paysandú 1913) seu primo Leonardo Collares Franco (L-3.1.1).

L-8.1.4 Severino Osório Brasil (*Paysandú 17-06-1892 †1918, possivelmente de gripe espanhola).


L-8.2 Ildefonso Collares Brasil (*Bagé 16-10-1868 †Paysandú) ≈ (Uruguai 1895) Malvina Pias (*±1875 †Paysandú), filha de Feliciano Antônio Pias[17] e de Claudina Nunes Gonçalves. Pais de:


L-8.2.1 Feliciano Brasil Pias (*Uruguai ±1896) ≈ (±1926) Haydée Vieira (*±1906 †Montevidéu).

L-8.2.2 Esther Brasil Pias ≈ Raul Robaina.

L-8.2.3 Alcides Brasil Pias ≈ Palmira Cunha.

L-8.2.4 Claudina Brasil Pias (*Uruguai ±1900) ≈ (Paysandú) seu primo Ismael Romeu Collares (L-1.1.4).

L-8.2.5 Irma Brasil Pias ≈ J. Menafra.

L-8.2.6 Ildefonso Brasil Pias ≈ Ema Laurenzo.

L-8.2.7 Nair Brasil Pias ≈ Júlio Iriarte.

L-8.2.8 Raul Brasil Pias.


L-8.3 Octaviano Collares Brasil (*Bagé 07-04-1870 †Paysandú 1918) ≈ (Uruguai ±1900) Camila Pias[18] (*±1880 †Paysandú), irmã da acima citada Malvina. De seus filhos, todos residentes em Montevidéu, temos notícia de:


L-8.3.1 Camila Brasil Pias.

L-8.3.2 Otávio Brasil Pias.


L-8.4 Francisca Collares Brasil (Chica) (*Bagé 29-04-1873 †Uruguai) ≈ (Uruguai ±1895) seu primo Severino Pereira Brasil (*Bagé 08-02-1872 †Paysandú 20-11-1918, vítima da gripe espanhola), filho de Manuel Pereira Brasil e de Bernardina Antônia da Silveira. Severino herdou do pai a sede da Estancia Cerro de la Bandera, cuja história foi escrita por seu descendente (já falecido) Oscar Pereira Henderson, de Paysandú. Pais de:


L-8.4.1 Aída Brasil (*Uruguai ±1897) ≈ (Bagé ±1914) seu primo Inocêncio José Collares (L-1.1.3) e, em segundas núpcias, ≈ Florencio Aldecosea.

L-8.4.2 Ema Brasil (*Uruguai ±1899), solteira.

L-8.4.3 Maria Luísa Brasil (*±1901) ≈ José Childs.

L-8.4.4 Manuel Pereira Brasil (Manolo) (*±1903) ≈ Maria Ester Henderson. Manuel herdou a Estancia Cerro de la Bandera, e, com seu irmão Homero, conservou-a com a mesma extensão de campos. Atualmente essa estância não mais pertence à família.

L-8.4.5 Nery Pereira Brasil (*±1905) ≈ Elisa Firpo.

L-8.4.6 Orfila Pereira Brasil (*±1907) ≈ (±1927) Orlando Comas.

L-8.4.7 Francisca Pereira Brasil (*±1909) ≈ Hector Peschetto.

L-8.4.8 Homero Pereira Brasil (*±1911) ≈ Carmen Millot.

L-8.4.9 Fany Pereira Brasil ≈ José Gabazo.

L-8.4.10 Romeu Pereira Brasil ≈ Ester Serra.

L-8.4.11 Blanca Pereira Brasil ≈ Carlos Beraldo.

L-8.4.12 Elsa Pereira Brasil ≈ Julio Lopez de Haro.

L-8.4.13 Darcy Pereira Brasil ≈ Dora dal Lago.

L-8.4.14 Lia Pereira Brasil ≈ Luís Chalela Silva.


L-9 Alexandre José Collares (*±1841 †Bagé 29-06-1919[19]) ≈ (Bagé 23-01-1862) sua prima Silvana Teixeira Brasil (*1842 †Bagé 28-05-1897), filha de Mateus Teixeira Brasil e de Firmiana Maria da Conceição. Fazendeiro em Bagé, Alexandre participou da Revolução de 1893 na chamada Primeira Invasão, liderando um esquadrão de 400 cavalarianos. Teve os filhos:


L-9.1 Flora Brasil Collares (*Bagé 16-03-1868 †Curitiba) ≈ (Bagé 10-07-1886) João Maria Marques (*1860 †Curitiba), filho de Pedro Maria Marques da Silva e de sua segunda mulher Ana Leopoldina. Após ter tido os dois primeiros filhos em Bagé, o casal se transferiu para Curitiba, onde nasceram os demais, sendo que, no total, teriam sido, entre vivos e mortos, 25 filhos. Os únicos filhos de que temos notícia são:


L-9.1.1 Maria Leda Collares Marques (*Bagé 14-06-1887) ≈ Samuel Pinho.

L-9.1.2 Alexandre Collares Marques (*Bagé 21-01-1890) ≈ Emir.

L-9.1.3 “Dóta” Collares Marques.

L-9.1.4 João Maria Collares Marques (Nenê).

L-9.1.5 Imer Collares Marques.

L-9.1.6 Remi Collares Marques.

L-9.1.7 Pedro Collares Marques.

L-9.1.8 “Nena”, casada em Curitiba.

L-9.1.9 Adel Collares Marques ≈ Cacilda Vianna.


L-9.2 Isaura Brasil Collares (*Bagé 21-10-1869 †Bagé 19-03-1900) ≈ (Bagé 02-05-1885) Pedro da Silveira Candiota (*Bagé 17-09-1858 †Pelotas), filho de Aníbal Rodrigues Candiota e de Isabel Luísa da Silveira. O casal teve os filhos, todos radicados em Pelotas:


L-9.2.1 Silvana Collares Candiota (Vanica) ≈ (1911 ou 1912) Armando Xavier.

L-9.2.2 Isabel Collares Candiota. Era solteira em 1919.

L-9.2.3 Leonardo Collares Candiota, casado.


L-9.3 Bráulia Brasil Collares (*±1871) ≈ (Bagé 08-12-1886) Júlio Fernandes dos Santos Pereira (*Bagé 27-02-1863), filho de José Fernandes dos Santos Pereira e de Manuela Martins Echepar. Em 1922 Bráulia vivia em Porto Alegre, onde provavelmente morreu (depois de 1914). O casal teve duas filhas:


L-9.3.1 Manoela dos Santos Pereira ≈ Jerônimo Azambuja.

L-9.3.2 Julieta dos Santos Pereira ≈ Serafim dos Santos Souza (*Bagé 13-01-1889), filho de Serafim dos Santos Souza e de Maria Luíza Rodrigues.


L-9.4 Silvana Brasil Collares (*Bagé 20-08-1873 †Rio de Janeiro) ≈ (Bagé 06-08-1892) Eugênio Luís Franco (*16-11-1861 †Rio de Janeiro), filho de Eugênio Luís Franco e de Joaquina Luísa dos Reis d’Ávila, sem geração.


L-9.5 Leonardo Brasil Collares (*Bagé 12-06-1876 †Pelotas 04-10-1943) ≈ (Pelotas 02-04-1902) Maria José Lopes de Almeida (*Pelotas 19-03-1876 †Pelotas 04-01-1922), filha de Junius Brutus Cássio de Almeida e de Maria Joaquina Lopes; em segundas núpcias, ≈ (Pelotas 30-05-1925) Dinora Chaves Lopes (*Pelotas 1884 †Pelotas 1934), filha de Jacinto Antônio Lopes Júnior e de Maria Salomé Chaves. Leonardo foi o fundador da Associação do Registro Genealógico Rio-Grandense, que em 1974 passou a chamar-se Associação Nacional dos Criadores Herd Book Collares, dedicada ao registro genealógico de raças de gado, com sede em Pelotas. Teve os filhos (todos do primeiro matrimônio):


L-9.5.1 Alexandre José Collares (*Pelotas 17-01-1903 †Rio de Janeiro 10-12-1966) ≈ (Bagé 11-07-1925) Hilda Froes Gomes (*Bagé 15-02-1903), filha de Domingos Nicodemos Gomes e de Elzira Froes. Em 1928, em sociedade com seu cunhado Carlos Froes Gomes, estabeleceu, em Bagé, uma revendedora de automóveis.

L-9.5.2 José de Almeida Collares (*Pelotas 09-01-1907 †Pelotas 11-04-1997) ≈ (Pelotas 1983) sua sobrinha Maria Angelina Collares Talavera (filha de L-9.5.3). Dirigiu o Herd Book Collares desde 1943 até sua morte. Foi também fundador e presidente da Associação de Criadores de Cavalos Crioulos.

L-9.5.3 Maria Joaquina Collares (Mariazinha) (*Pelotas 14-07-1908 †Pelotas 15-04-1978) ≈ (Pelotas 15-12-1930) Carlos Talavera (*Rio Grande 21-01-1903 †Pelotas 09-08-1974), filho de Antônio Talavera e de Angelina Dogeri.


L-9.6 Firmiana Brasil Collares (*Bagé ±1881 †Montevidéu 1976) ≈ (Montevidéu ±1919) Eduardo Aguirre (*±1889 †Montevidéu ±1966). Pais de:


L-9.6.1 Eduardo Aguirre Collares (*±1920) ≈ Ivette.

L-9.6.2 Washington Aguirre Collares (*Uruguai ±1922 †Rio da Prata, de desastre) ≈ Margot.


L-10 Silvina Brasil Collares (*Bagé 04-02-1845 †Palmas 16-05-1876) ≈ (Bagé 18-02-1860) Francisco Lopes dos Santos (*Estado do Rio de Janeiro ±1839 †Palmas 24-07-1914), filho de Vicente Lopes dos Santos e de Maria Jerônima Coelho. O casal teve estância nas Palmas, em cuja sede morou ultimamente Severo Collares da Silva (J-4.10.2). Foram pais de:


L-10.1 Horaida Lopes dos Santos (*Bagé 1862 †Palmas 08-07-1897) ≈ (Bagé 26-05-1883) seu primo Tertuliano Brasil da Silveira, filho de João José da Silveira e de Firmiana Pereira Brasil. Pais de:


L-10.1.1 João Francisco Lopes da Silveira (*Palmas 1884) ≈ (Palmas 20-04-1907) Maurícia Monteiro (*Palmas 1879 †Palmas 01-03-1920), filha de João Antônio Monteiro Leopoldina e de Felisberta Maia.

L-10.1.2 Hildebrando Lopes da Silveira (*Palmas 1886 †depois de 1966) ≈ (Palmas 20-12-1908) Clotilde Antônia Monteiro (*Palmas 1884), irmã da acima citada Maurícia.

L-10.1.3 Maria da Conceição Lopes da Silveira (*Palmas 1890) ≈ (Palmas 24-03-1913) Otacílio Delfim (*1888), filho de Francisco Delfim e de Francisca Dias.

L-10.1.4 Horaida Lopes da Silveira (Nena) (*Palmas 13-10-1893) ≈ (Palmas 31-12-1918) seu primo Antônio Vieira Brasil (*Bagé 05-12-1889), filho de José Alexandre Coelho Brasil e de Maria Arlinda Vieira.

L-10.1.5 Adelaide Lopes da Silveira (*Palmas 1895 †Palmas 06-12-1921) ≈ (Palmas 1912) Vitorino Monteiro, irmão das atrás citadas Maurícia e Clotilde.


L-10.2 Esperidião Lopes dos Santos (*Bagé 30-04-1864 †Bagé 21-01-1933) ≈ (Uruguai 1887) sua prima Francelina José Collares (J-4.4) e, em segundas núpcias, ≈ (Palmas 31-07-1901) Pulcina Osório Rodrigues (*Palmas 20-06-1877 †Bagé 19-11-1933), filha de Francisco Rodrigues do Nascimento e de Rita Osório. Esperidião foi escrivão civil e eleitoral nas Palmas, a serviço do partido republicano. No livro de Francisco José Collares (J-4), consta a anotação do falecimento de sua primeira esposa Francelina em 23-04-1896, feita provavelmente pela mãe ou por alguma irmã, terminando com as palavras “que fatalidade”... Consta também a relação dos 5 filhos que Francelina chegou a ter, a seguir transcritos, seguidos dos outros 7 filhos que Esperidião teve do segundo matrimônio:


L-10.2.1 Maria Francisca (*29-11-1886 †entre 1896 e 1900).

L-10.2.2 Demócrito (*Bagé 31-07-1888 †29-04-1890).

L-10.2.3 Doralina (Boja) (*Palmas 18-01-1890) ≈ (Palmas 16-05-1908) Antônio Cândido Xavier de Azambuja, filho de Antônio Xavier de Azambuja e de Flora Xavier de Azambuja.

L-10.2.4 Haydée (*Palmas 18-10-1892), faleceu solteira.

L-10.2.5 Outubrina (*Palmas 18-10-1894) ≈ (Palmas 14-09-1913) Veraldino Antônio de Oliveira.

L-10.2.6 Branca Osório Lopes (*Bagé 26-06-1902 †Bagé 28-10-1977) ≈ (Palmas 30-07-1925) seu primo irmão Francisco Brasil Lopes (L-10.4.4).

L-10.2.7 Célia Osório Lopes (*Bagé 14-02-1905 †Palmas) ≈ (Palmas 02-04-1921) Clineu Alves Pereira (*30-03-1893), filho de Agapito Alves Pereira e de Rosaura Oliveira.

L-10.2.8 Zenon Osório Lopes (*Palmas 1906 †Bagé 24-07-1968) ≈ (Palmas ±1942) Judith Vieira da Silva (*1920 †±1955, em viagem do Uruguai para Bagé), filha de Júlio Vieira da Silva e de Henriqueta Dias.

L-10.2.9 Francisco de Paula Lopes (Negrito) (*Palmas 05-08-1907) ≈ (Palmas 16-02-1935) sua prima Loiva Brasil Lopes (L-10.4.6).

L-10.2.10 Laura Osório Lopes (*Palmas 02-03-1909) ≈ (Palmas 31-07-1929) seu primo Heráclito Collares Lopes (L-10.6.2).

L-10.2.11 Nilo Osório Lopes (*Palmas 1919) ≈ Gedy Martins Saraiva.

L-10.2.12 Hélio Osório Lopes (*Palmas 1915 †Bagé 08-07-1978) ≈ (±1940) Alaíde Ferreira Jardim, filha de João Gaspar Jardim e de Adélia Ferreira.


L-10.3 Orozimbo Lopes dos Santos (*Bagé 31-03-1866 †Bagé 17-07-1937) ≈ (Palmas 15-12-1889) Brasilina Pires Brasil (*Bagé 14-02-1875 †Palmas 19-02-1937), filha de Jerônimo Teixeira Brasil e de Clara da Fontoura Brasil. Pais de:


L-10.3.1 Orlando Brasil Lopes (*Palmas 1890 †Bagé 01-07-1969) ≈ (Palmas 07-11-1914) sua prima Ilda Brasil Lopes (L-10.4.3).

L-10.3.2 Sílvia Brasil Lopes (China) (*Palmas 1892 †Bagé) ≈ (Palmas 23-12-1916) Aldo Dias de Araújo (*1892), filho de Emígdio Alves de Almeida Araújo e de Rosa Ruy Dias.

L-10.3.3 Otília Brasil Lopes (*Palmas 1896 †Bagé 14-04-1968), solteira.

L-10.3.4 Dalila Brasil Lopes (*Palmas 22-05-1898 †Bagé) ≈ (Palmas 21-10-1922) Hostílio Manuel Quintana (*18-10-1896), filho de Antônio Manoel Quintana e de Firmina Pinto.

L-10.3.5 Sílvio Brasil Lopes (*Palmas 25-02-1904 †Bagé 14-06-1963) ≈ (Palmas 02-05-1929) Ricarda Ferreira Mugica (*29-09-1904), filha de Avelino Mugica e de Clara Ferreira.

L-10.3.6 Jandira Brasil Lopes (*Palmas ±1906 †Bagé) ≈ Assis de Souza Luiz.


L-10.4 Ataliba Lopes dos Santos (*Bagé 22-06-1868 †Palmas 1948) ≈ (Bagé 20-07-1893) Júlia Teixeira Brasil (*Bagé 08-07-1875 †Bagé 1951), filha de Jerônimo Teixeira Brasil e de Clara da Fontoura Brasil. Pais de:


L-10.4.1 Setembrina Brasil Lopes (Nena) (*Palmas 1894 †Palmas), solteira.

L-10.4.2 Jerônimo Brasil Lopes (Negro) (*Palmas 14-01-1896) ≈ (Palmas 30-01-1926) Marina Ferreira Paiva (*17-08-1906), filha de Hermínio Soares de Paiva e de Joaquina Ferreira.

L-10.4.3 Ilda Brasil Lopes (Morena) (*Bagé 21-09-1897) ≈ (Palmas 07-11-1914) seu primo irmão Orlando Brasil Lopes (L-10.3.1).

L-10.4.4 Francisco Brasil Lopes (Currucho) (*Palmas 10-11-1898 †Bagé 06-06-1972) ≈ (Palmas 30-07-1925) sua prima Branca Osório Lopes (L-10.2.6).

L-10.4.5 Marisa Brasil Lopes (*Palmas 12-05-1907) ≈ (Bagé 14-11-1925) Indalécio Luiz Machado (*23-08-1901 †1938), filho de Manuel Francisco Machado e de Maria Luíza.

L-10.4.6 Loiva Brasil Lopes (*Palmas 09-11-1908) ≈ (Palmas 16-02-1935) seu primo Francisco de Paula Lopes (L-10.2.9).

L-10.4.7 Ataliba Brasil Lopes (Nenê) (*Palmas 24-03-1910 †Bagé 13-09-1970) ≈ (Bagé 13-09-1935) Laura Ferreira Jardim (*Palmas 1916), filha de João Gaspar Jardim e de Adélia Ferreira.

L-10.4.8 Orozimbo Lopes Brasil (*Palmas 12-12-1914) ≈ (Bagé 08-10-1949) Adelaide Fonseca Pereira (*Cachoeira do Sul 24-01-1919), filha de José da Silva Pereira e de Umbelina Fonseca.


L-10.5 Outubrina Lopes dos Santos (Bina) (*Bagé 04-10-1869) ≈ (Bagé 05-07-1885) Antônio Cândido Simões Pires, filho de Feliciano Simões Pires e de Lucina Gonçalves. Conforme relata Antônio Silveira Pires em seu Palmas da Gente, Guardados da Memória (Bagé: Urcampo 1992, vol. II, págs. 67-82), Antônio Cândido herdou a casa paterna, junto ao Cerro do Malcriado, nas Palmas, e campos que depois passaram a pertencer a Affonso Miranda Collares. Ele anotou em um caderno as datas dos nascimentos dos filhos, que foram:


L-10.5.1 Sílvia Lopes Pires (*Palmas 06-11-1886) ≈ Homero Freitas.

L-10.5.2 Luciana Lopes Pires (Chana) (*Palmas 23-02-1889 †02-12-1923) ≈ Nicomedes Monteiro.

L-10.5.4 Romero Lopes Pires (*Palmas 24-04-1892 †05-05-1945) ≈ (05-07-1938) Silvana Garcia Franco (*25-07-1914), filha de Jerônimo Marques Franco (Loca) e de Brasília Garcia Franco.

L-10.5.5 Marieta Lopes Pires (*Palmas 07-03-1896 †06-09-1977) ≈ Bráulio Oliveira (*Lavras).

L-10.5.6 Dejanira Lopes Pires (*Palmas 17-05-1898 †10-08-1973) ≈ Manuel Francisco Machado (Maneco) (*Dom Pedrito).

L-10.5.7 Francisco Lopes Pires (Chico) (*Palmas 05-07-1899 †Porto Alegre), solteiro.

L-10.5.8 Alaíde Lopes Pires (*Palmas 21-10-1900 †Seival, Lavras 18-01-1985) ≈ Samuel dos Santos Barcellos, filho de Francisco Barcellos e de Alice Saraiva Barcellos.

L-10.5.9 Oscarina Lopes Pires (*Palmas 23-01-1901 †1980), solteira.

L-10.5.10 Dalva Lopes Pires (*Palmas 18-12-1902 †12-02-1926), solteira.

L-10.5.11 Décio Lopes Pires (*Palmas 20-01-1904) ≈ (04-10-1928) Unira Silveira Pires (*27-10-1909), filha de Rosalvo Meirelles da Silveira e de Ambrozina Silva da Silveira.

L-10.5.12 Nahir Lopes Pires (Neneca) (*Palmas 17-08-1906 †1981), solteira.

L-10.5.13 Honorina Lopes Pires (*Palmas 19-10-1907) ≈ Esmeraldo Figueira Alves.


L-10.6 Heráclito Lopes dos Santos (Dacundá) (*Bagé 18-08-1871 †Palmas 18-09-1921) ≈ (Palmas 15-07-1899) sua prima Firmiana José Collares (J-1.8). Pais de:


L-10.6.1 Eloá Collares Lopes (*Palmas 1903 †Bagé 1947), solteira.

L-10.6.2 Heráclito Collares Lopes (*Palmas 24-02-1908) ≈ (Palmas 31-07-1929) sua prima Laura Osório Lopes (L-10.2.10).

L-10.6.3 Francisca Collares Lopes (Chiquinha) (*Palmas 1911) ≈ (Palmas 10-11-1933) seu primo Severo Collares da Silva (J-4.10.2).


L-10.7 Pradelina Lopes dos Santos (Padica) (*Bagé 23-05-1875 †Bagé 15-11-1967) ≈ (Palmas 03-04-1897) seu parente Dilon Coelho Brasil (*Bagé 20-02-1874 †Bagé 12-01-1919), filho de Severino Coelho Brasil e de Severina Pires Brasil. O casal teve os filhos:


L-10.7.1 Evaristo Lopes Brasil (*Bagé 07-03-1902) ≈ (Bagé 11-10-1929) sua prima Clotilde Rodrigues Brasil (*Palmas 14-03-1898 †Bagé 1932), filha de Artur Teixeira Brasil e de Justina Rodrigues; em segundas núpcias ≈ (Bagé 19-09-1936) sua prima e cunhada Sílvia Rodrigues Brasil (*Palmas 06-03-1897).

L-10.7.2 Corália Lopes Brasil (Lola) (*Bagé 1904), faleceu solteira.

L-10.7.3 Severina Lopes Brasil (Nenê) (*Bagé 1906 †Bagé 30-12-1973), solteira.


[1] Os primeiros Collares republicanos foram J-1.5 Laurindo José Collares (*Bagé 1869 †Bagé 26-05-1927) e J-1.6 José Luís Collares (*Bagé 1871 †Bagé 1939).

[2] No inventário, consta que José Luís e Luciana faleceram, respectivamente, em 13 de maio de 1859 e em 12 de setembro de 1859. Mantivemos no texto as datas registradas por Rheingantz, que teve acesso aos registros dos óbitos.

[3] Segundo o livro de Juvêncio Collares da Silva conservado por seu descendente Plácido J. Collares, de Paso de los Toros.

[4] Ou 1898, segundo o inventário.

[5] Ou 1912, segundo memória familiar.

[6] Segundo seus descendentes, Tia Mosa nasceu em 1905, na Lechiguana (Palmas).

[7] Mais conhecido como João Mulato, exímio laçador, era posteiro da estância de Lúcio José Collares, tendo adotado o sobrenome de seu antigo senhor.

[8] Essa informação é de 08-06-1867, e consta às fls. 36 e 37 do inventário de José Luís Collares, conservado no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (Bagé, 1 Cartório de Órfãos e Ausentes, processo n. 167, maço 7, ano 1860).

[9] E não em 10-09-1889, como registrou Rheingantz.

[10] Romeu teve 3 filhos, mas um deles, Carlos, morreu aos 18 anos.

[11] Datas de nascimento e falecimento informadas por Tomás José Collares Collares.

[12] Segundo consta no inventário, teria falecido em 18-03-1890.

[13] Lisbela e Severino tiveram ainda um terceiro filho, Leão, que morreu queimado ainda pequeno.

[14] Segundo o livro de Juvêncio Collares da Silva conservado por seu descendente Plácido J. Collares, de Paso de los Toros. Todas as datas referentes a esta família são as constantes no referido livro. Os 9 filhos do casal foram: Ema (*30-06-1889), Heduviges (*17-10-1891), Silvana (*10-09-1893), Gertrudes (*22-07-1895), Lino (*23-09-1896), Juvêncio (*26-01-1898), Laurindo (*01-09-1900), Hortênsia (*28-04-1902) e Francisca (*25-06-1906).

[15] No inventário de Gertrudes Collares, aberto em 1906, consta que os únicos filhos que moravam no Uruguai eram Leonardo e Hermes.

[16] Rheingantz, equivocadamente, registrou Heduviges, nascida em 17-10-1891, como sendo a “Silva” que se casou com Bernabé. Mas Heduviges morreu ainda pequena.

[17] Foi adotado por Severino Teixeira Brasil e, após a morte deste, criado como filho por Mateus Teixeira Brasil, filho de Severino.

[18] Segundo Oscar Pereira Henderson, a mulher de Octaviano seria Camila Martigani, e não Camila Pias.

[19] Segundo consta no inventário, teria falecido em 09-06-1919.